segunda-feira, 29 de junho de 2009

Coisas

*
*
Tem coisas que nascem,
E se viram sozinhas pelo mundo
Empurradas pelo o ritmo do que se sucede
Transpassando vidas e vidas
Em um rumo bem claro
Em rumo preciso, o das sequências.

Tem coisas...
Com força de vida própria,
Além da vida que as projeta
Com a força de sua essência
Força de ser.

Tem coisas...
Que reviram uma história desconhecida
Invariável,
Que agrupa todos os homens e animais
Em uma natureza ancestral
Compondo-se sem distinguir raças,
Sem distinguir culturas, nem bondades, nem maldades;
Coisas que se recriam apenas com estímulos.
*
*
*
*

7 comentários:

Nasci disse...

Salve Laurinha, lindo texto...
Será que você me autorizaria, vez ou outra, re-postar alguns de seus textos no Fanzineria?
Estou querendo deixá-lo mais dinâmico, mais fanzinão e suas palavras o tornarão bem mais colorido...
Abração...

F. Reoli disse...

Você escreve de forma deliciosa e ambigua: aos olhos e aos sentidos!
Beijo

[ rod ] disse...

Há coisas tão fatais que deixam marcas para o resto da vida...

Bjs moça e vim te convidar.






A saga dos 12 textos já começou... Venha conferir no dogMas, diariamente, de 01 a 12 de julho em comemoração ao meu aniversário.


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Carlos Nascimento (Nasci) disse...

A honra é minha, a intenção é potencializar o Fanzineria divulgando promissores talentos... Valeu, abração

Carlos Howes disse...

Há poucas coisas tão interessantes quanto boas palavras tão bem distribuidas.

Quem é ela? disse...

Gostei tanto do seu blog linda.

:)

tu escreve com palavras tão leves.

YEs ArT's disse...

Amor...passei aqui !

demorei mais apareci...bjus